HIBY FC4

>>Caso você seja novo aqui, recomendo que leia a página “Apresentação”<<

INTRODUÇÃO:

A HIBY Music é uma empresa chinesa que fabrica DAPs (Digital Audio Players), fones intra-auriculares, DAC AMP Dongles, fones sem fio (TWS), e outra série de produtos e acessórios para o mundo do áudio. A empresa começou suas atividades em 2011 e atualmente é umas das maiores fabricantes de produtos voltados para a portabilidade. A HiBy também possui o HiBy Music App, que é um dos Players de música mais utilizados pelos amantes de música.

Essa é a primeira vez que tenho contato com um produto da marca, e na ocasião, o alvo da vez será o DAC/AMP dongle HiBy FC4. O FC4 pra quem não sabe é um DAC/amplificador de fones de ouvido que pode ser utilizado tanto num smartphone, quanto num computador para melhorar a saída de áudio do dispositivo. O FC4 possui preço oficial de $99 dólares (USD). O produto foi apenas produzido na cor preta.

Essa avaliação foi em parceria com a loja HIFIGO, uma das principais distribuidoras dos produtos da HiBy, além de outras diversas marcas e produtos de áudio. Sendo assim, eu vou deixar os links do produto e quem tiver mais interesse em saber sobre o HiBy FC4, é só conferir pelos links abaixo (não são afiliados).

Para quem ainda tem dúvida de como a HIFIGO envia seus produtos para o Brasil, posso dizer que eles enviam de forma semelhante ao AliExpress, sem complicação de burocracia. Após o pagamento do pedido, a pessoa recebe em 1 ou 2 dois dias um e-mail com o número de rastreamento.

Link da HIFIGO:

https://hifigo.com/

https://hifigo.com/products/hiby-fc4

https://www.amazon.com/FC4-Headphone-Amplifier-Unfolding-ES9218PC/dp/B0B3RRLWD6


ESPECIFICAÇÕES:

– DAC Chip: ESS ES9218PC (2x)
– FPGA dois cristais osciladores independentes
– Entrada: USB tipo C
– Saídas: 3.5mm TRS e CTIA-spec TRRS headsets + 4.4mm (Balanceada)
– Potencia na 3.5mm: 110mW@32Ω (1.9Vrms)
– Potencia na 4.4mm: 340mW@32Ω (3.3Vrms)
– THD + N: 0.0008%%(3.5mm), 0.0006%(4.4mm)
– SNR: 120dB (3.5mm), 123dB(4.4mm)
– Noise: 1.7μVrms@32Ω (3.5mm), 2.2μVrms@32Ω (4.4mm)
– Crosstalk: 72dB (3.5mm), 98dB (4.4mm)
– Resposta de frequência: 20Hz – 90kHz (32Ω)
– Suporta: PCM até 32-Bit/768kHz; DSD64-256 (NATIVE); MQA 8x
– LED RGB: Verde (MQA), Azul (MQA studio), Magenta (MQA rendering), Amarelo (≤48K), Aqua (64 – 192K), Laranja (352.8K ou acima), Branco (DSD), Vermelho (em pausa)
– SO suportado: Android / iOS / Mac / Windows 10
– Material do corpo: Todo em metal
– Cabos inclusos: USB-C<>USB-C; USB-C<>USB-A
– Medidas(em pé): 65.3mm[C] x 22.1mm[L] x 11.9mm[P]
– Peso: cerca de 21.7g

DISPOSITIVOS UTILIZADOS:

– 7Hz Salnotes Zero
– Tin HiFi P1
– xDuoo Link2 Bal
– Questyle M15
– Moto Z3 Play
– Dell Inspiron Realtek HDA (W10)



ASPECTOS FÍSICOS:

HiBy FC4, um dos dongles mais populares do momento. Vamos iniciar falando sobre a construção do produto. Todo construído em metal, ótimo acabamento, bem finalizado, ele tem um design bem simples, mas que em certos casos vale mais a pena do que ter um requinte maior e obter alguma avaria. Digo isso exatamente porque o produto não possui nenhuma parte em vidro, ele 100% revestido por uma liga metálica.

Se vocês viram as reviews do xDuoo Link2 Bal e do Questyle M15, eu citei exatamente sobre essa questão das empresas colocarem vidro na superfície do produto. O vidro por mais que traga um luxo, uma sofisticação, eu acho que traz também mais chances de acontecer alguma avaria no objeto. Então, aqui no FC4 eu vejo esse lado positivo do dongle ser todo em metal. Eu fico mais despreocupado quando estou usando.

Nas fotos parece que o produto tem uma pequena textura sobre o metal, mas não, a superfície é 100% lisa, o aspecto “granulado” é apenas uma impressão que as fotos passaram. Um ponto que eu achei legal no FC4 é que ele é um dongle bem leve (pra esse tipo de dongle com saída 4.4mm), ele só fica atrás mesmo do DD HiFi TC44C, que foi o mais leve que testei até então. Sendo assim, o FC4 ocupa a segunda colocação nesse quesito “dongles mais leves”.

O FC4 conta apenas com um controle de volume da lateral direita, e só, não possui mais nenhum outro recurso por meio físico. O botão de volume eu achei ser uma peça sólida, estável, não fica fazendo aquele barulhinho de folga se você balançar o produto. Aquele ruído não é algo que seja um problema, mas é sempre bom quando o produto não possui, não é verdade? Então, eu achei esse detalhe um ponto positivo na construção do dongle. Eu tô testando o produto zerado (novo), não sei se com mais tempo de uso se o botão virá a apresentar o tal ruído.

O controle de volume do FC4 consegue oferecer 30 níveis de volume, além de também ser um controle de volume independente ao do Android, isso é, você tem 30 níveis de ajuste diferente no dongle e mais os 15 níveis disponibilizados pelo Android. Pra mim, isso é legal por uma lado e por outro nem tanto. O lado positivo é que você tem um controle muito mais preciso do volume que você quer na sua música, ele não dá “saltos” tão grandes. Agora, por outro lado, se o volume tiver “preso” no Android, não vai adiantar porque você vai chegar nos 30 níveis do FC4 e o som vai continuar baixo, vai ser preciso ir no botão de volume do celular pra aumentar o volume.

O Dongle conta com um LED RGB na parte de cima do produto que indica por meio de cores qual é o tipo de arquivo e taxa de amostragem (sample rate). As cores indicam o seguinte: luz verde (MQA), luz azul (MQA studio), luz magenta (MQA rendering), luz amarela (≤48K), luz aqua (64 – 192K), luz laranja (352.8K ou acima), luz branca (DSD), luz vermelha (em pausa). Pra mim, a luz amarela foi a que deu o ar da graça, uma vez que só utilizo arquivos FLAC de 16bits/44.1-48kHz. Agora, eu entendo que é ótimo o dongle vir com a maior capacidade de reprodução de arquivos possíveis, acaba contemplando as pessoas que utilizam arquivos de alta resolução.

Com relação aos cabos inclusos no dongle. Um cabo USB-C<>USB-C, e outro USB-C<>USB-A. Pra mim a configuração é boa porém não satisfatória, já que não veio nenhum cabo Lightning ou adaptador para a conexão citada. Na minha opinião, era de bom grado que a empresa disponibilizasse o acessório compatível com a conexão utilizada pela Apple. A qualidade dos cabos eu achei que ficou um pouco abaixo do padrão, não em termos de durabilidade, porque pra mim parece que eles dão conta do recado, mas é na questão da usabilidade mesmo, comparado aos outros dongles do mesmo tipo que já testei, os cabos do FC4 são os mais básicos, sem nenhum “plus”, parecem até um cabo de carregador de celular.

Não veio nenhum outro acessório com o FC4 além dos dois cabos citados, sendo assim, o produto não possui nenhum Case ou capa protetora. No caso do FC4 eu não vi tanta necessidade do produto ter uma capa de proteção, já que o corpo do mesmo é todo em metal. Sei que tem algumas pessoas que gostam muito desse tipo de acessório, mas infelizmente eu não encontrei em nenhum lugar na internet alguma empresa que estivesse fabricando o item para o dongle.

O consumo de bateria na saída 3.5mm, usando o fone 7Hz Salnotes Zero, foi de 13%. O smartphone que usei tem bateria de 3.000mAh. O teste foi realizado durante 1h de reprodução, com a tela desligada e o WiFi desligado (modo avião). O volume foi estabelecido no nível 12 dos 15 disponíveis pelo Android. Como o FC4 possui um controle de volume independente, eu procurei para esse teste colocar no vol. máximo (nível 30) no dongle e controlar pelo volume do Android.

O consumo de bateria na saída 4.4mm usando o Tin HiFi P1 foi de 16%. Também seguindo os mesmos moldes do teste da saída 3.5mm, sem diferença no volume estabelecido (12 dos 15 disponíveis pelo Android). Lembrar que esse é um teste simples apenas pra tirar uma base, não são números de extrema precisão.

Aquecimento. O teste do aquecimento eu faço pelo tato. Durante o tempo que o produto está testando o consumo da bateria eu vou tocando na superfície pra sentir se ele está esquentando de forma mais expressiva. Então, na saída 3.5mm depois de uma hora de reprodução o FC4 teve um leve aquecimento da superfície, esquentou mas nada fora do normal. Na saída 4.4mm aí sim notei um aquecimento mais expressivo, a superfície do dongle ficou bem aquecida, mas também, nada que venha a causar riscos ao usuário. Dos últimos dongles que testei com a mesma configuração, achei que o FC4 foi o que esquentou mais. Lembrar que as condições do ambiente podem interferir no resultado do teste.

O produto foi reconhecido automaticamente quando conectei no Notebook (usando o Windows10), não precisei instalar nenhum driver. O controle de volume do HiBy FC4 conectado ao Windows continuou de forma independente, então, cada dispositivo ficou ali com sua escala de volume, sem o FC4 assumir o controle do volume do Windows.



ASPECTOS SONOROS:

É preciso lembrar que essa análise é subjetiva, baseada na minha experiência com o produto e também da sinergia com os outros equipamentos que usei aqui. Eu também já informo que a parte mais objetivista do hobby não é muito a minha praia, então pode ser que algumas informações fiquem limitadas, não detenho muito conhecimento sobre o lado técnico desse tipo de produto.

Segundo a HiBy, o FC4 vem com dois DACs da ESS Technology, modelo ES9218PC. Quando eu avalio esse tipo de equipamento, sempre acho que não é simplesmente o modelo ou fabricante do DAC que vai fazer a diferença, e sim a implementação de todos os componentes dentro do circuito se integrando de uma forma mais geral (na minha opinião).

A qualidade de áudio do HiBy FC4 eu achei muito boa. É mais um dongle que consegue ter um ótimo desempenho na parte sonora e ao mesmo tempo ser o mais barato que avaliei (dos com saída 4.4mm). O FC4 me passou a ótima sensação de resolução, transparência e fidelidade durante o tempo que estive ouvindo minhas músicas com o equipamento. Pra mim, o som fornecido pelo FC4 apresentou a característica de ser limpo, puro, isento de coloração, e com um ótimo nível de detalhamento nas músicas que pude escutar. Não percebi nenhum ruído, distorção, ou som estranho durante os períodos que fiquei avaliando o dongle.

Como disse no parágrafo anterior, o FC4 consegue ser uma boa opção pelo custo/benefício que entrega, talvez hoje no mercado as duas opções mais acessíveis desse tipo de dongle sejam mesmo o HiBy FC4 e o FiiO KA3 (embora não testei o KA3). A saída Pentaconn tem ganhado força no hobby, e agora provavelmente vamos ter muitos fones saindo com cabos modulares (2.5, 3.5, 4.4), então penso que dongles com a config 3.5mm + 4.4mm bal são bons investimentos para quem quer portabilidade.

Eu procurei fazer essa parte da avaliação do produto com o FC4 conectado ao meu notebook. Esse também foi o jeito que utilizei pra fazer o comparativo entre o FC4 e outros dois dongles (mais abaixo na avaliação), porque fica melhor pra quem está avaliando mais de um produto ao mesmo tempo. No dongle eu deixei no vol. máx (30 níveis) e fiquei ajustando no controle de volume do Windows.

Amplificação na saída 3.5mm. O teste de amplificação na saída 3.5mm foi com o 7Hz Salnotes Zero. Pra mim, o Zero é um fone que toca de boas sem precisar de amplificação, o FC4 já disponibiliza 110mW de potência nessa saída, o que deu e sobrou para o 7Hz. Em questão de volume, o som ficou alto o bastante para mim no volume 30% da escala de volume do Windows. Infelizmente foi impossível chegar ao volume máximo com o Zero porque ele já estava alto o bastante no nível 50%, então eu considerei que mais que isso poderia colocar minha audição em risco.

Amplificação na saída 4.4mm balanceada. O teste de amplificação na saída 4.4mm foi com o Tin HiFi P1, que é um fone já bem conhecido por necessitar de mais amplificação para ser empurrado corretamente. As especificações do produto indicam que o FC4 entrega 340mW na saída balanceada, o que então seria atualmente o dongle mais potente que eu estaria avaliando. Nos meus testes aqui, o FC4 realmente conseguiu empurrar o Tin P1 de forma competente, os graves conseguiram ser reproduzidos de uma forma bem audível pelo transdutor (planar magnético). Em termos de volume, eu acho que pra mim o som ficou bom por volta dos 60% da escala de volume do Windows.

Eu consegui colocar o Tin P1 no volume máximo (100%) com o FC4, e pra minha grata surpresa, o fone não apresentou nenhum sinal de distorção (clipping). Fiz também um teste rápido com o dongle conectado ao celular e o mesmo ocorreu, sem distorção audível aos meus ouvidos.


COMPARATIVO: HiBy FC4 x Questyle M15 x xDuoo Link2 Bal


Primeiramente, lembrar que são produtos que buscam a mesma finalidade porém não são idênticos, só de um ter uma pintura diferente do outro, já faz com que eles se diferenciem.

De antemão eu posso afirmar que são 3 ótimos produtos, com qualquer um dos 3 você vai estar bem servido, a questão da escolha cabe a você, e aí é você que tem que avaliar qual deles faz mais a sua preferência, seja pelo preço, seja pelo design, seja pelos acessórios, e etc.

Outra coisa, não significa que a minha experiência seja aquilo que você deve buscar pra você, pelo contrário, eu sempre recomendo que todos no hobby busquem ter suas próprias experiências, da maneira que quiserem e puderem.

Preço: O FC4 custa $99 dólares, o Link2 Bal custa $149 dólares, e o M15 custa $249 dólares (valores retirados dos sites oficiais dos fabricantes).

O M15 é o único que disponibiliza a opção de ter uma capa protetora, os outros dois – até o momento – não possuem o acessório (provavelmente não serão fabricados).

O FC4 é o único todo construído em metal. O M15 e Link2 Bal possuem vidro na superfície. A probabilidade de acontecer do produto sofrer uma avaria é maior nos dois que possuem vidro (na minha opinião).

O Link2 Bal é o mais completo nos quesitos “cabos”, pois possui a solução para os 3 tipos de conexões (USB-C, USB-A, e Lightning). O FC4 e o M15 se igualam nesse sentido, possuem apenas cabos para USB-C e USB-A.

Em termos de tamanho, o FC4 é o mais comprido, o Link2 Bal é o mais profundo, e o M15 o mais largo. Obviamente pelas fotos vocês podem ver que as diferenças são pequenas de um pro outro.

Medindo apenas pela mão, me pareceu que o Link2 Bal é o mais pesado, seguido pelo M15, e depois do FC4 como o mais leve dos três (mesmo assim considero os 3 como leves).

Pra mim, em termos de minimalismo e da portabilidade, consinto que dos 3 o FC4 é o que levou mais vantagem. É o mais fino e o mais leve dos 3.

O Link2 Bal e o HiBy FC4 possuem um controle de volume direto no equipamento, o M15 não possui. O Link2 Bal possui um botão de Play/Pause, os demais não possuem.

FC4 é o único que não possui seletor de ganho (gain), o Link2 Bal e M15 possuem a opção.

O FC4 e o M15 conseguem reproduzir MQA, o Link2 Bal não possui essa característica.

Amplificação: Para fazer a análise do som e da amplificação, eu usei o Tin HiFi P1 na saída 4.4mm balanceada. Como o FC4 não possui o seletor de ganho, eu deixei o dongle no vol. máx (30 níveis). Os outros dois eu fiz o teste com o seletor de ganho ativado. Eu estabeleci o volume de 50% com todos os três, buscando uma igualdade no teste. Para mim, todos os 3 conseguiram empurrar o Tin P1 de forma satisfatória. Sim, mas eu imagino que você queira saber, qual o mais potente? Então, dizer a vocês que eu fiquei algumas horas trocando de dongle pra buscar uma afirmação, entretanto, todos três apresentaram o mesmo nível de potência (pros meus ouvidos). A diferença foi tão ridícula que se eu afirmar que um estava mais forte que o outro, posso estar meramente amparado no placebo. Lá no comparativo do M15 x Link2 Bal (na review do M15), eu disse que o M15 estava mais “forte” que o Link2 Bal, pois bem, aqui eu já achei que a sonoridade estava de forma muito similar.

Som: Pra começar, eu não curti muito fazer um comparativo com 3 produtos ao mesmo tempo, acho que acabou confundindo muito a mente, teve momentos que eu acreditei estar ouvindo uma diferença, e logo em seguida a diferença que eu tinha notado já tinha desaparecido. Penso que essa vai ser a última vez que vou fazer esse tipo de comparativo, a diferença às vezes é tão pequena ou inexistente (pros meus ouvidos). Pode ser que exista mais diferença entre produtos como um DAC/AMP de mesa e um dongle simples (3.5mm), mas a minha experiência com esses 3 dongles, a sonoridade foi muito parecida. O que eu posso afirmar é que todos 3 são produtos de altíssimo nível e possuem qualidade muito satisfatória. Entregam um excelente desempenho em detalhamento, transparência, e resolução.




Se você chegou até aqui, muitíssimo obrigado!

Considere seguir o Facebook e o Instagram do site para receber todas as novidades em primeira mão!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑