XDUOO LINK2 BAL

>>Caso você seja novo aqui, recomendo que leia a página “Apresentação”<<

INTRODUÇÃO:

A Shenzhen xDuoo Technology Co., Ltd, ou apenas conhecida como xDuoo, é uma empresa chinesa bastante conhecida pela fabricação de produtos de áudio, em específico: DAPs, DACs, Amplificadores, DAC/AMPs, Dongles, Bluetooth receivers, e alguns outros acessórios de áudio. A empresa era inicialmente uma ODM (Original Design Manufacturing), até que resolveram iniciar a sua própria marca.

Essa é a primeira vez que tenho a oportunidade de avaliar um produto da empresa, eu já tinha visto que eles tinham alguns DAC/AMPs portáteis bem conhecidos nas comunidades, mas seus dongles nunca ganharam muita expressão. Mas agora, eles entraram forte no mercado dos dongles, com o XDUOO LINK2 BAL. O dongle conta com uma saída 3.5mm (SE) e uma saída 4.4mm (balanceada). O produto está sendo comercializado pelo preço de $149 dólares (USD). Até o momento está sendo produzindo apenas na cor cinza escuro/preto.

O loja de aquisição do xDuoo Link2 Bal foi a SHENZHENAUDIO, uma das principais distribuidoras dos produtos da xDuoo, além de outras diversas marcas e produtos de áudio. Então, eu vou colocar os links do produto e quem tiver interesse em saber mais sobre o Link2 Bal, é só conferir pelos links abaixo (não são afiliados).

Link da SHENZHENAUDIO:

https://shenzhenaudio.com/

https://shenzhenaudio.com/products/xduoo-link2-bal-headphone-amplifier-2-pcs-cs43131-dac-headphone-amplifier-type-c-dsd256-4-4mm-3-5mm

https://shenzhenaudio.pt.aliexpress.com/store/601461

https://pt.aliexpress.com/item/1005003839135836.html

ESPECIFICAÇÕES:

– DAC Chip: Cirrus Logic CS43131(x2)
– AMP Chip: Texas Instruments TI LM27762
– UAC modo: 1.0/2.0
– Entrada: USB tipo C
– Saídas: 3.5mm (SE) + 4.4mm (Balanceada)
– Potencia na 3.5mm: 125mW@32Ω, 54mW@75Ω, 27mW@150Ω, 13mW@300Ω
– Potencia na 4.4mm: 270mW @32Ω, 163mW@75Ω, 105mW@150Ω, 53mW@300Ω
– THD + N: 0.001%(3.5mm), 0.0007%(4.4mm)
– SNR: 123dB (3.5mm), 127dB(4.4mm)
– Crosstalk: 3.5mm ≥77dB, 4.4mm ≥120dB
– Resposta de frequência: 20Hz – 20kHz (±0.5dB)
– Suporta: PCM 44.1-384kHz (16-32Bit); DSD64-256 (DOP/NATIVE)
– LED: Vermelho=44.1/48kHz(PCM); Azul=88.2/384kHz(PCM); Verde=64/256 (DSD)
– SO suportado: Android; Apple iOS; MAC; Windows; Linux; Switch
– Material do corpo: Alumínio CNC usinado e Vidro 2.5D
– Cabos inclusos: USB-C<>USB-C; USB-C<>Lightning; USB-C<>USB-A (adaptador)
– Medidas(em pé): 63mm[C] x 23.5mm[L] x 13mm[P]
– Peso: cerca de 28g

DISPOSITIVOS UTILIZADOS:

BQEYZ Autumn
Tin HiFi P1
Earstudio HUD100 MKII
– Moto G20
– Dell Inspiron Realtek HDA (W10)

ASPECTOS FÍSICOS:

Esse é o segundo DAC/AMP dongle que eu avalio que tem a saída Pentaconn 4.4mm balanceada, o primeiro foi o DD HiFi TC44C. Pelo visto, o mercado – no momento – está aposentando a saída 2.5mm nesse tipo de equipamento, praticamente todas as empresas estão lançando seus dongles com a configuração 3.5mm + 4.4mm balanceada.

Começar falando da construção do produto. A xDuoo ousou em mesclar o metal com vidro na construção, se por um lado o produto ficou esteticamente muito bonito, por outro lado isso trouxe algumas implicações, vamos chegar lá daqui a pouco, por enquanto vamos nos ater a outras características físicas do produto.

O dongle tem um ótimo acabamento, não possui quinas afiadas, traz uma pegada muito confortável no manuseio. Ele tem um peso que pra mim está dentro do satisfatório, porque pra todas as características que ele possui eu ainda considero ele como leve. O DD HiFi TC44C é mais leve que o Link2 Bal, mas também o TC44C é um dongle mais “liso”, não tem alguns botões e recursos que tem o Link2 Bal.

Em uma das laterais do Link2 Bal temos os botões de volume e o de Play/Pause, eles tem uma ótima qualidade, o click é bem macio. Eu achei que faltou ali no botão de volume a indicação gráfica de qual é o “mais” (+) e o “menos” (-), mas isso é Ok, não tem muito impacto no uso. No inicio eu até achei que o botão Play/Pause seria um botão de liga/desliga – o que seria ótimo – mas não é o caso. A configuração dele é assim: pressionar e soltar = play/pause, pressionar duas vezes = avança a faixa, pressionar 3 vezes retrocede a faixa.

Do outro lado do produto vem com dois DIP Switches pra fazer a troca entre UAC 2.0/1.0 e modo Normal/Turbo. Apenas com o DIP no modo Normal foi que o botão ficou balançando e apresentando aquele som de botão com folga, “chacoalhando”, algo similar ao que encontrei nos DIP Switches do Radsone HUD100 MK2, só que com bem menos ruído aqui no Link2 Bal.


Modo UAC (USB Audio Class). Um dos recursos do Link2 Bal é poder selecionar entre o USB Audio Class 1.0 e o USB Audio Class 2.0. Mas o que seria o UAC 1.0 e UAC 2.0? Eu entendi como o tipo de protocolo usado pelas portas USB para rodar arquivos de alta resolução. Sendo assim, o UAC 1.0 consegue estar apto a rodar arquivos PCM 24bits/96kHz, já o UAC 2.0 consegue rodar arquivos maiores como PCM 32bits/384kHz em diante, ou arquivos DSD256, por exemplo. O UAC 1.0 era encontrado em sistemas operacionais mais antigos como Windows7/XP, etc, ou também em alguns Androids e Video Games de outrora.

O UAC 1.0 não necessita instalação de nenhum driver, pois é “Plug & Play”, já o UAC 2.0, a depender do sistema operacional que você esteja usando, talvez seja preciso instalar um driver para rodar (MAC OS não necessita instalar driver). Caso haja necessidade de instalação de driver, aqui está a página de arquivos da xDuoo para download. As informações sobre USB Audio Class eu pude encontrar nesse site (em inglês). Pra mim essa questão de UAC foi tranquila, eu só usei arquivos FLAC 16bits/44.1kHz para testar o dongle.

O Link2 Bal possui um LED indicativo na parte superior do produto já quase perto da porta USB-C. O LED possui 3 cores que mudam de acordo com a taxa de amostragem do arquivo: Vermelho=PCM 44.1/48kHz; Azul=PCM 88.2/384kHz; Verde=DSD64-256 (DOP/NATIVE). O produto não tem suporte a MQA.

A parte que eu achei que merece maior atenção no produto foi a empresa ter optado por colocar a superfície superior e a inferior toda em vidro. Confesso pra vocês que deu um toque de sofisticação muito grande ao produto, porém vidro a gente sabe que pode arranhar, e aqui não foi diferente.

Eu desembalei o produto e já tirei as fotos – faço isso com todos – justamente pra que ele fique com o máximo de limpeza e conservação nas imagens. Assim que terminei de tirar as fotos, olha lá um pequeno micro arranhão na parte de baixo… Eu me pergunto onde e quando foi que arranhou se eu só tirei as fotos?? E ainda coloquei uma proteção plástica na parte de trás justamente pra que isso não acontecesse, e aconteceu!

Outra questão também do vidro são as marcas de impressão digital. Aí você pensa “mas isso é besteira, é só limpar”, Ok, mas aí você vai ter que ficar limpando, e as chances de você arranhar o vidro enquanto limpa também vão aumentando. Então eu fiquei bem preocupado com essa questão, você compra um produto novo e em pouco tempo ele pode apresentar alguma avaria na estética?! Não preciso nem citar que é inimaginável deixar um produto desses cair no chão né, aí só Deus é que sabe o que pode acontecer, porque eu não vou fazer esse teste.

A empresa poderia ter colocado uma película ou uma capa protetora (eu prefiro a película). Por exemplo, o DAP Hidizs AP80 Pro vem com várias películas disponíveis pra proteger a tela e a traseira do DAP, pois ambos os lados são de vidro. Engraçado que o DD HiFi TC44C é todo em metal mas veio com um Case de couro sintético, já o Link2 Bal tem vidro na frente e atrás e não tem Case (até o momento não vi vendendo o suposto item pela internet) .


Uma parte que eu achei bem positiva foi a empresa ter colocado dois cabos e mais um adaptador. Eu achei o kit bem completo, basicamente cobre todas as possibilidades de conexão, seja pra Android, iPhone, ou computador. Talvez o ideal máximo seria se tivesse vindo 3 cabos (USB-C, Lightning, e USB-A) ao invés de ter vindo um adaptador, mas o importante foi alcançado. Os cabos são de ótima qualidade e beleza estética.

O consumo de bateria na saída 3.5mm, usando o fone BQEYZ Autumn no modo Normal, foi de 4%. O smartphone que usei tem bateria de 5.000mAh. O teste foi realizado durante 1h de reprodução, com a tela desligada e o WiFi desligado (modo avião). O volume foi estabelecido no nível 12 dos 15 disponíveis pelo Android.

O consumo de bateria na saída 4.4mm usando o Tin HiFi P1 no modo Turbo foi de 5%. Também seguindo os mesmos moldes do teste da saída 3.5mm, sem diferença no volume estabelecido (12 dos 15 disponíveis pelo Android). Lembrar que esse é um teste simples apenas pra tirar uma base, não são números de extrema precisão.

Aquecimento. O teste do aquecimento eu faço pelo tato. Durante o tempo que o produto está testando o consumo da bateria eu vou tocando na superfície pra sentir se ele está esquentando de forma mais expressiva. Então, na saída 3.5mm depois de uma hora de reprodução, o produto estava Ok, sem sinais de aquecimento demasiado, eu entendo que ele ficou discretamente morno, algo quase imperceptível. Na saída 4.4mm o produto ficou basicamente com a mesma característica do teste na saída 3.5mm. Achei muito bom o desempenho, lembro que tempos atrás existiam dongles que só tinham saída 3.5mm e os produtos esquentavam bastante.

Lembrar que as condições do ambiente podem interferir no resultado do teste. Eu até fiz a medição com um termômetro digital mas achei que o resultado não foi tão estável, os números ficaram oscilando, então eu descartei a hipótese de fazer um banco de dados pra esse tipo de equipamento.

O produto foi reconhecido automaticamente quando conectei no Notebook (usando o Windows10), não precisei instalar nenhum driver. O controle de volume do Link2 Bal conectado ao Windows acontece de 2 em 2%, por exemplo, 50%, 52%, %54, etc. No Android são apenas 15 níveis, então vai de 1 em 1 nível.

Segundo a xDuoo, não é possível usar o microfone do fone de ouvido para atender ligações. A empresa recomenda que se você quiser atender ligações você precisa desconectar o dongle e usar o fone diretamente. O produto não possui microfone integrado.



ASPECTOS SONOROS:

É preciso lembrar que essa análise é subjetiva, baseada na minha experiência com o produto, e também da sinergia com os outros equipamentos que usei aqui. Eu também confesso não ter muito conhecimento nesse lado mais objetivista do hobby, então, é preciso fazer uma reflexão antes de levar tudo 100% ao “pé da letra”.

A qualidade de áudio do xDuoo Link2 Bal eu achei excelente, o som pra mim se apresentou de modo muito transparente, puro e sem coloração, na minha opinião. Não percebi nenhum ruído, distorção ou som estranho durante os períodos que fiquei testando o dongle. Segundo a xDuoo, o produto está implementado com dois DACs da Cirrus Logic, modelo CS43131.

Gostei do desempenho do Link2 Bal pois ele conferiu um nível a mais de detalhamento com algumas músicas que estava acostumado a escutar porém um detalhe ou outro não era tão evidente. Destaque maior principalmente na saída 4.4mm balanceada, foi onde obtive a melhor qualidade de som. O modo Turbo ativado trouxe uma maior sensação de palco sonoro também, as músicas ganharam um pouco mais de espacialidade.

Eu procurei fazer essa parte da avaliação do produto com ele conectado ao meu notebook. Sei que esse é um produto mais voltado ao uso com celulares mas pra quem está testando é mais prático usar o controle de volume do Windows.


Amplificação na saída 3.5mm. O teste de amplificação na saída 3.5mm foi com o BQEYZ Autumn, fone que toca de boas sem precisar de muita amplificação (minha opinião), embora ele tem um leve benefício quando você dá a ele um pouco mais de potência. Então, o que notei com o Link2 Bal foi que ele conseguiu empurrar o fone da maneira correta e ainda sobrou uma boa margem de volume com o som já estando bem alto (pros meus ouvidos). Eu cheguei em 60% e um pouco mais, daí em diante já era impossível deu aumentar mais o volume (não quero ficar surdo).

Amplificação na saída 4.4mm balanceada. O teste de amplificação na saída 4.4mm foi com o Tin HiFi P1, fone que já é conhecido por precisar de uma dose extra de amplificação pra ser empurrado corretamente. O que eu percebi aqui do Tin P1 com o Link2 Bal foi o seguinte: no modo Normal o fone não conseguiu um desempenho satisfatório, o som realmente não expandiu, mas quando eu selecionei o modo Turbo (ganho), aí sim o dongle conseguiu extrair o potencial do fone, o som se abriu, o grave ficou mais perceptível, além da sonoridade como um todo ficar melhor. Depois dessa mudança pro modo Turbo, eu achei que não precisou de muito volume pra o som ficar pro meu gosto, ali nos 60% já estava ótimo. Eu também testei o P1 na saída 3.5mm usando um adaptador da DD HiFi, mas, foi meio que perda de tempo, já que o fone pra mim não ficou bom sem o Turbo na 4.4mm balanceada.

Eu não conseguir fazer um teste de volume máximo com o BQEYZ Autumn porque meu ouvido simplesmente não conseguiu passar de 70%, eu não quis me expor ao Vol. Máx pra não me colocar em risco. Mas já com o Tin P1 eu consegui colocar no volume máximo, e infelizmente nesse nível de volume o som apresentou sinais de distorção (clipping). Até uns 90% eu ainda acho que o som se manteve inalterado, agora, para além disso eu não tenho como garantir, sei que em 100% foi garantido (ainda que não foi algo tão drástico, porém perceptível).


COMPARATIVO: LINK2 BAL x HUD100 MK2

Dizer qual é o tipo de sonoridade do produto, de forma independente (sem comparar a outro produto), não faz muito sentido, porque se a pessoa não tem outro produto como referencial, o som no final das contas pra ela vai ser o “normal”. Pra esse tipo de produto eu entendo que é preciso ter pelo menos outro ao lado – nem que seja a placa de áudio do computador – pra poder comparar e dizer: “esse é mais bright”, “esse é mais warm em relação a esse” (na minha opinião).

Então, comparando rapidamente o Earstudio HUD100 MKII com o xDuoo Link2 Bal, eu senti como se o Link2 Bal conferisse uma camada a mais de resolução nas músicas que escutei, o som ficou mais detalhado e de certa forma até mais “energético”, isso por conseguir escutar mais definição em todas as frequências, um pouco mais de micro detalhamento nos agudos, mas transparência e clareza nos médios, e um grave mais dinâmico.

A sensação de palco sonoro (soundstage) no Link2 Bal também foi outro ponto que eu achei que houve uma melhoria em relação ao HUD100 MK2, como o som ficou mais nítido num contexto geral, acabou que a espacialidade também conseguiu ser mais evidente.

Em questão de tonalidade eu achei o Link2 Bal suavemente mais bright do que o HUD100 MK2, exatamente porque teve esse maior detalhamento na região aguda, mas isso não significa dizer que o produto é bright né, eu é que consegui distinguir mais as nuances dessa região.

Em termos de amplificação, o HUD100 MK2 não fez feio não, conseguiu na saída H-P (High Power) se equiparar com o som do Link2 Bal no modo Turbo, tanto que pra mim os dois ficaram – aproximadamente – com a mesma intensidade de som em 60% de volume (ambos em 60%).

Sempre lembrando que são produtos distintos, o HUD100 MK2 possui um saída com mais potência porém é uma saída 3.5mm SE, já o Link2 Bal tem a saída 4.4mm Balanceada. Sendo assim, eu fiz esse comparativo usando o Tin HiFi P1 com SpinFit CP145 e conectado, ora na saída H-P do HUD100 MK2, ora na saída balanceada do Link2 Bal. O comparativo foi realizado com os dispositivos conectados no Notebook.


Se você chegou até aqui, muitíssimo obrigado!

Considere seguir o Facebook e o Instagram do site para receber todas as novidades em primeira mão!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑