BQEYZ AUTUMN

>>Caso você seja novo aqui, recomendo que leia a página “Apresentação”<<

INTRODUÇÃO:

A BQEYZ é uma empresa chinesa especializada na fabricação de fones intra-auriculares (IEMs), cabos, módulos bluetooth, eartips (ponteiras), Cases (estojos), e outros acessórios em geral para o mundo do áudio. A empresa tem se tornado bem conhecida por colocar os nomes dos seus fones como uma estação do ano: Spring (primavera), Summer (verão), Autumn (outono).

A primeira experiência que tive com a marca foi quando eu avaliei o BQEYZ Summer, e hoje irei avaliar o BQEYZ AUTUMN. O fone começou a ser desenvolvido em dezembro de 2019 mas só foi lançado no final de 2021. Esse tempo de desenvolvimento está relacionado ao fone dispor da capacidade de mudar a sonoridade por meio de filtros destacáveis.

O AUTUMN está sendo comercializado pelo valor de $199 dólares (USD) na loja oficial da BQEYZ no AliExpress. Ressaltar que no momento que escrevo essa review, o fone está com um preço menor do que o oficial de lançamento. O fone foi produzido em duas cores: Benzo Blue, e Ash Green. Ele também possui a opção de escolha dos plugues: 2.5mm, 3.5mm, e 4.4mm (é preciso escolher apenas uma opção no ato da compra).

Link da BQEYZ:

https://www.amazon.com.br/dp/B09LC5CRJX?

https://bqeyz.pt.aliexpress.com/store/4997112

https://pt.aliexpress.com/item/1005003532634040.html


ESPECIFICAÇÕES:

(1) Driver Dinâmico (DD) de 13mm Dual Cavidade por lado
Frequência: 7Hz – 40kHz
Sensibilidade: 110dB
Impedância: 46Ω
Plugue: 3.5mm banhado a ouro
Cabo: 120cm
Material do cabo: Cobre banhado a prata
Conectores: 2-Pin 0.78 (dois pinos)


ASPECTOS FÍSICOS:

Eartips (ou ponteiras/borrachinhas). Vieram dois tipos de ponteiras em silicone, umas “normais” (toda cinza) e outras em estilo “Wide Bore” (bocal aberto), nos tamanhos P/M/G. Começar falando que ponteiras wide bore eu não me dou muito bem, acho que deixam o som mais bright (em algumas ocasiões), então, eu nem testei com essas. Fiz um teste com as “normais”, e pra mim elas foram apenas ‘normais’, eartips simples (na minha opinião). Achei a espessura do tubo dessas normais um pouco larga, e acaba a eartip ficando mais rígida. Pensando em proporcionar uma análise mais fiel ao produto, eu optei por usar as eartips “normais” no tamanho M, mas admito que esse fone seja passível de troca por outras eartips.

Legal da empresa ter colocado pelo menos dois tipos de ponteiras de silicone, mas eu achei que pra um fone de duzentos dólares, deveria ter ali uma variedade maior, ou que não tivesse tanta variedade mas fosse algo de mais qualidade. Também não veio ponteira de espuma (foamtips), o que pra mim tanto faz tanto fez porque já aposentei esse tipo de ponteira, só uso de silicone, mas entendo que tem gente que usa e aqui foi outro corte desnecessário pela empresa, foamtips é coisa de centavos, dava pra ter colocado no pacote.

Cabo. Esse cabo é realmente uma obra de arte, muito bonito. Provavelmente o cabo mais bonito que já tive a oportunidade de ver em mãos. É um brilho prateado meio que em estilo metálico, diferente dos cabos de prata que tem uma coloração quase branca. Lembrou o cabo do Letshuoer S12, só que o do Autumn é mais discreto no geral, então acabei achando ele mais interessante. Além da beleza, o cabo também é muito bom, bem leve, não embaraça, não pega memória, é bem maleável, bom de guardar no Case. Em questão de microfonia, foi quase nada, passa despercebido. Num contexto geral, esse cabo é um ponto muito positivo no produto. PS: vi que a empresa vende ele separadamente também na loja.

Earhooks (ou ganchos de orelha). Ótimos earhooks. A curvatura ficou muito boa nos meus ouvidos, encaixou como uma luva. Tudo bem esse é um ponto bem subjetivo, tem gente que nem gosta dessa peça e arranca logo, mas todo fone que eu tenho avaliado, percebo que um earhook com a curvatura certa faz muita diferença no encaixe do fone. Uma observação que faço é que eles tem aquela ondulação que acompanha o formato das tranças do cabo, e em alguns cabos eu percebi que esse detalhe pode incomodar com o tempo, inclusive pude sentir isso no BQEYZ Summer. Agora, felizmente nesses earhooks do Autumn eu não senti isso, possivelmente por eles serem mais finos dos que os já testei anteriormente, então, o conforto foi bom aqui.

Conectores 2 PIN. O fone vem com conectores tipo 2 pinos, que pra mim, é algo melhor que MMCX, porque não rotaciona e é mais fácil de tirar e colocar… só vejo vantagens nesse tipo de conector. Esses em questão ficam com um pequeno espaço entre o conector e o fone, o que eu entendi como algo bem vindo porque facilita na hora de tirar, é só colocar uma unha ali e puxar e o conector sai fácil fácil. Não sei se isso foi pensado pela empresa mas certamente eu achei que foi algo bem positivo. Os conectores tem a indicação de lado L e R (esquerdo e direito), assim como os fones também tem a indicação. Isso é sempre bom pois facilita a vida de quem tá iniciando no hobby.

Chin Slider (peça que regula a abertura dos cabos que vão para os falantes). Acabou que não saiu na foto que geralmente eu tiro pra mostrar a peça, mas todavia aparece na foto do cabo por completo. Eu achei que a peça não teve muita efetividade, tipo, você coloca no lugar desejado, mas se balançar o cabo, a peça escorrega. Então, quem utiliza muito essa peça, fique avisado, a funcionalidade ficou reduzida aqui.

Encaixe. O encaixe ficou muito bom, os earhooks ajudaram bastante nesse quesito. O fone tem um fit vertical, eu geralmente me dou melhor com fones horizontais, mas esse eu me dei bem também. É um fone que não precisei ficar ajustando, apenas coloco e pronto. A estabilidade foi boa, eu diria que 95% estável nos meus ouvidos, e só não ficou 100% por que o corpo do fone tem um tamanho mais compacto, então ele acaba não encostando totalmente na parte de trás dos meus ouvidos. O fone é bem discreto, não ficou parte protusa pra fora do meu ouvido. O isolamento eu achei médio, e a inserção nos ouvidos eu achei média (nem muito funda nem muito rasa). O isolamento pode melhorar com a troca por outras eartips.

Conforto. Esse quesito também foi um ponto positivo pra mim, o fone é leve e muito bem finalizado, realmente a empresa mostrou um amadurecimento na questão da construção, porque em comparação com o BQEYZ Summer, o Autumn dá de mil a zero (na minha opinião). O fone é feito em metal de ótima qualidade, e ele tem aquela sensação mais fria ao toque que alguns fones de metal possuem (varia de acordo com a temperatura ambiente). Não tive pontos de pressão encostando nos meus ouvidos. Fiz algumas sessões de 2-3 horas direto com o fone e não senti incômodo, acredito que ele possa ser usado por longos períodos sem apresentar desconforto (mas isso é subjetivo, talvez um ouvido menor que o meu possa sentir).

Filtros. O elemento de destaque no Autumn são os filtros destacáveis. Os filtros são capazes de mudar – em parte – a sonoridade do fone. Ele vem com 3 pares de filtros diferentes: Bass (gray/cinza), Normal (gold/dourado), e Treble (silver/prata). O lance aqui é que esses filtros podem ser removidos por meio de magnetismo, pra isso, o produto acompanha uma “bastão” com um imã na ponta, que é o que faz a troca dos filtros. Basta encostar o bastão no filtro e remover/colocar ele no fone.

A minha experiência de troca dos filtros foi bem positiva, não tive dificuldade pra realizar a operação, é tudo muito simples e prático. A única coisa que poderia pontuar é que após a inserção do filtro no lugar, você precisa meio que arrastar o bastão pro lado, pra que o filtro solte e fique no lugar onde você quer, seja no corpo do fone ou na plaquinha de guardar o filtro. Isso é compreensível, o magnetismo segura o filtro na ponta do bastão, então a força do imã do bastão é um pouco mais forte do que o lugar onde você vai inserir o filtro (fone ou placa), mas como falei, isso se resolve apenas dando uma puxadinha pro lado no bastão.

De acessórios inclusos, veio o Case pra guardar o fone e uma escovinha de limpeza. O Case é semirrígido com fechamento de zíper, é compacto e cabe o fone tranquilamente sem muita dificuldade pra guardar. Eu tenho preferência por Cases rígidos e com fechamento em magnetismo, acho que a empresa poderia tem colocado algo mais elaborado aqui, até porque, o valor do produto permite (na minha opinião).


ASPECTOS SONOROS:

>>>Nota: esse fone foi avaliado usando o filtro Normal (Gold/Dourado), então as descrições abaixo serão todas baseadas na sonoridade providas por esse filtro.<<<

A sonoridade do BQEYZ AUTUMN eu considero como U-Shape (desenho em U), mas que também tem uma influência da Harman Target (curva de compensação desenvolvida pelo Grupo Harman International), porém com algumas modificações. O som do Autumn me lembrou bastante a sonoridade do AUNE Jasper, fone que tem uma excelente tonalidade, então aqui na ocasião essa sensação se repete, o Autumn também possui um excelente tuning. O fone tem um equilíbrio muito bom, tudo fica muito bem executado e coerente com ele. O fone conta ainda com 3 filtros que podem mudar levemente a sonoridade do mesmo (ver parágrafo específico dos filtros).

Os graves do Autumn. Em termos quantitativos, os graves são presentes o suficiente pra deixar a apresentação de forma equilibrada, nem muito grave nem pouco grave, algo intermediário entre não deixar a apresentação enfadonha nem transformar num som “divertido” (na minha opinião). O som dos graves são mais concentrados nos médio-graves do que nos sub-graves, mas também há atividade na região dos subs, embora em menor destaque em comparação aos médio-graves. Mas a diferença é pequena, mesmo eu que tenho preferência por mais subs do que médio-graves, me agradei com a medida encontrada aqui. Não presenciei sensação de decaimento (roll-off) nessa parte do espectro. Acredito que mesmo usando o filtro Bass (Gray/Cinza), ainda não alcança um nível Basshead.

Em termos qualitativos, os graves do Autum são ricos e autoritários, tem bastante textura, então você tem graves que são mais físicos, grossos, encorpados, embora como a quantidade não é muita, eles acabam ficando de certa forma mais controlados, sem dominar a apresentação. O impacto é mais pro lado cheio do que aquela porrada seca. Os graves não invadem nos médios, não são estrondosos, não são lamacentos, não são abafados, e tem boa extensão. Agora, não acho eles os graves mais rápidos e definidos que já ouvi, mas certamente estão acima da média. Um baixo elétrico fica sempre confortável na apresentação, mas também sempre audível.

Os médios do Autumn. Os médios tem um leve recuo, mas os médio-agudos tem um ótimo destaque, assim, podem ser considerados como pra frente. São bem transparentes, claros e definidos. Pra mim é a segunda melhor região desse fone (subjetivo). Os sons se apresentam de uma forma que imprimem muita sensação de realidade, os instrumentos ficam muito palpáveis. Piano, guitarra, flauta transversal, sax, tudo fica muito bem destacado.

As vozes no Autumn tem bastante presença. Pra mim, ambos os tipos – femininas e masculinas – ficaram boas aqui, mas certamente eu achei que as vozes femininas tiveram um desempenho melhor do que as vozes masculinas. Vozes mais altas e agudas ficaram com um ótimo destaque, já as vozes mais graves não chegam a extrair um ronco mais visceral. Eu penso que o calor (warmth) que o fone possui, não foi o suficiente pra atingir um grau de desempenho exemplar para as vozes mais baixas (na minha opinião).

Chegando na região dos agudos, pra mim é a melhor parte desse fone. O trabalho de tuning nessa região foi muito bem feito (na minha opinião). Em termos quantitativos, a medida foi bem acertada, nada falta e nada está em excesso. Eu fiquei até impressionado porque eu tenho testado fones com músicas que mostram logo se eles tem uma coloração ou uma elevação/pico, e no caso aqui do Autumn, os agudos permaneceram sempre dentro da coerência, nada destoou, a apresentação dos agudos ficou muito bem equilibrada. Não é um fone que eu indicaria aos Trebleheads, nem mesmo usando o filtro Treble.

Em termos qualitativos, os agudos do Autumn tem um brilho harmonioso, que se aproxima do real, nem muito suave nem muito energético. Tem uma ótima sensação de definição, arejamento e detalhamento (mas não a ponto de um micro detalhamento). Sem coloração, sem rispidez, sem estridência, sem sibilância. A extensão eu achei apenas ok. Instrumentos de corda como violão e bandolim ficam com ótima articulação no dedilhado, chimbal toca macio e com definição, prato de condução (ride) não soa afiado, carrilhão se apresenta bem controlado e equilibrado, assim como triângulo e meia-lua. Eu imagino que os agudos desse fone são bons pra quem sente fadiga muito fácil com agudos mas não quer uma apresentação com muito recuo nessa região.

Palco sonoro (soundstage). A sensação de palco sonoro no Autumn eu considero como boa. Ele é médio em termos de profundidade, diria que a medida exata pro som não tocar tão colado ao ouvido nem tão distante. Considero a largura e a altura como boa, agora, eu tive a sensação dos sons sendo projetados mais da linha do ouvido em direção à face, não muito para a parte de trás da cabeça.

Separação instrumental. A separação dos instrumentos eu achei boa/média. Num sentido macro, os sons ficam bem definidos e nítidos, mas num lado micro, não há a última gota em precisão do posicionamento. Como falei no soundstage, os sons partem mais do centro do ouvido em direção à parte frontal, então, acho que isso pode ter afetado um pouco o desempenho (lembrando que isso pode variar também de acordo com a gravação e outros processos durante a produção da música).

Driver Flex. Aqui temos algo interessante. O Autumn tem apenas um Driver Dinâmico (DD), então as chances de aparecer driver flex aumentam. Pois então, usando as eartips do Autumn, não presenciei nenhum sinal de driver flex, porém, quando fiz um teste com as eartips stock do Shozy Form 1.1, aí apareceu ali o ruído, mas isso apenas quando eu inseri o fone e pressionei ele contra meus ouvidos.

Amplificação. Eu usei pra fazer a análise desse fone, o Radsone Earstudio HUD100 MK2 conectado ao notebook e plugado na saída padrão (menor potência). As especificações do produto mostram que o fone possui uma impedância de 46 ohms, e que pra um IEM já algo a se estranhar, porém a sensibilidade do fone também é alta, 110dB. Na prática, posso afirmar que o Autumn não necessita de amplificação dedicada, isso é, amplificadores de alta potência pra empurrar alguns fones. O fone se mostrou fácil de tocar, eu deixei ele sempre nos volumes entre 30 e 40% (usando a escala de volume do Windows10). Agora, eu também testei na saída de maior potencia do DAC/AMP e achei que o fone teve um benefício com esse pouco a mais de amplificação.

Filtros. A mudança de sonoridade com a troca dos filtros realmente acontece, mas é preciso levar em consideração que não é algo muito drástico, e sim algo mais sutil. O que eu presenciei aqui foi algo parecido com uma troca de eartip. Do filtro Normal (Gold/Dourado) para o Bass (Gray/Cinza), a diferença é basicamente mais volume nos graves. Do filtro Normal para o Treble (Silver/Prata), os graves são reduzidos e a sonoridade fica tendendo ao Neutro-Bright.


ASPECTOS MUSICAIS:

Esse é um fone 3 em 1, e ainda a sonoridade Normal já é bem equilibrada, então, foi possível extrair um bom número de combinações com os gêneros testados. Acredito que é um bom fone pra quem preza por tonalidade sobre tecnicalidades.

Música Eletrônica. Com o filtro Normal já dá pra ouvir, com o filtro Bass dá uma melhorada, mas lembrar que ainda assim não é um fone basshead. Com o filtro Bass ele chega perto de um FiiO FH3 nos graves, mas o FH3 consegue ser um pouco mais intenso.

Hip-Hop e Rap. Todas as músicas que eu ouvi ficaram boas. Eu testei primeiro com o filtro Normal e depois com o Bass, e na prática, não mudou muita coisa, acredito que a questão aqui está centrada nos médios, região das vozes, e que no caso a mudança de filtro não teve muito impacto nessa região.

Reggae. Aqui eu já comecei com filtro Bass, pra buscar o groove. Confesso que ficou bom, porém acho que já ouvi o gênero com outros fones que o groove veio mais fácil. Num contexto geral, a apresentação ficou boa, houve um destaque considerável nas vozes, digamos que o som ficou mais transparente do que tô acostumado a ouvir com esse gênero.

Metal. Mesmo com o filtro Bass, na primeira música eu já declinei a combinação. Achei que o som ficou bem pra frente, ao meu ver, pode causar um cansaço com o passar do tempo, certamente a questão não é por causa dos agudos, e sim dos médio-agudos. Pra Heavy Metal até foi possível ouvir, mas pra Metal mais extremo eu não curti muito.

POP. O gênero ficou ótimo no Autumn. Eu usei o filtro Bass, e o som continuou com um aspecto equilibrado, mas já inclinando ao V-shape. As cantoras do gênero se deram um pouco melhor com esse fone.

Rock. Ficou muito bom. Ouvi metade das músicas com o filtro Bass e outra metade com o Normal. Pra mim, o filtro Bass ficou melhor, mas a diferença é pouca, ou seja, com o filtro Normal também ficou bom. As guitarras ficaram muito boas, com bastante energia.

Blues. Entre o filtro Bass e o Normal, eu preferi ouvir com o Normal, apesar da diferença ser apenas um leve decréscimo nos graves. O importante é que as guitarras tiveram uma sinergia perfeita com as músicas que ouvi.

MPB. (com o filtro Normal) A apresentação ficou muito equilibrada, gostei muito do que pude ouvir com esse fone. Já é um gênero fácil de combinar, e com um fone que privilegia as vozes, não deu outra.

Samba e Pagode. Usei o filtro Bass pra alcançar o melhor resultado dos instrumentos de percussão e do baixo. Infelizmente não atingiu o que eu esperava. Certamente a apresentação ficou boa em termos qualitativos, mas em termos quantitativos eu achei que faltou mais destaque pros graves (subjetivo), o baixo ficou muito discreto nas músicas que ouvi. Mesmo com o filtro Bass eu fiquei com a sensação de o fone ser “Neutro” pra esses gêneros.

Forró. Ficou muito bom, uma apresentação bem transparente, todos os instrumentos tocaram no seu lugar, sem um encobrir o outro. O Acordeom ficou bem palpável. Usei o filtro Bass.

Sertanejo. Não sou a melhor pessoa pra jugar esse gênero porque não tenho o costume de ouvir, mas o que ouvi da playlist com o Autumn, eu achei que ficou muito bom. Usei o filtro Bass.

Axé. Achei que faltou mais energia e diversão, e eu usei o filtro Bass. Com certeza quem prefere ouvir com mais qualidade vai gostar, mas faltou um pouco mais de intensidade pro gênero brilhar (na minha opinião).

Bossa Nova. Ficou bom. Segue a premissa do que disse em MPB, uma apresentação bem relaxante, sem faltas e sem excessos. Achei que ficou melhor com gravações mais novas. Usei o filtro Normal.

Jazz. Aqui eu me dou melhor com fones mais puxando pro Bright, e também que tenham exímia separação instrumental e micro detalhamento, um bom exemplo pra mim é o TIN HiFi P1 ou o IKKO OH1S. Depois de feita a análise da sonoridade dos filtro, esse foi o único gênero que eu utilizei o filtro Treble pra ver se poderia fazer a combinação sair, e na minha opinião, não saiu.

Música Clássica. Resolvi por combinou porque violinos e pianos ficaram bons, apesar de não ser o melhor fone que já ouvi o gênero, mas como não sou mais um ouvinte do gênero como já fui um dia, isso é muito circunstancial. Usei o filtro Bass.


_________________________________________________

Gosto é subjetivo, então aqui vai a lista dos estilos musicais que eu achei que combinaram mais com esse fone. Lembrando que foram apenas alguns gêneros testados e alguns poucos artistas. Se eu coloquei que combinou com tal estilo e outro não, não significa que você não possa ouvir o seu gênero musical preferido com este fone e adorar. Então, aí vai:

Combinaram:

Eletrônica
Hip Hop
Rap
POP
Reggae
MPB

Rock
Blues

Clássica
Bossa Nova

Sertanejo
Forró

Nem tanto:

Jazz
Metal
Samba
Pagode
Axé

MÚSICAS TESTADAS:

Dire Straits – Sultans of Swing
Jack Thammarat – Back to the Start
Slayer – Angel of Death
Pantera – The Great Southern Trendkill
Deicide – Once Upon the Cross
Entombed – Left Hand Path
Immortal – Norden on Fire
Mayhem – Freezing Moon
Dimmu Borgir – In Death’s Embrace
Iron Maiden – Aces High
Angra – Carry On
Korn – Freak On a Leash
Slipknot – Left Behind
Paramore – Monster
AC/DC – Moneytalks
KISS – Heaven’s On Fire
Scorpions – Rock You Like a Hurricane
Jethro Tull – Locomotive Breath
Pink Floyd – Time
The Rolling Stones – Wild Horses
Queen – I Want to Break Free
Kings of Leon – Supersoaker
Red Hot Chili Peppers – Californication
The Strokes – You Only Live Once
Coldplay – Viva La Vida
Charlie Brown Jr – Lutar Pelo Que é Meu
Sade – Cherish The Day
Eric Clapton & B.B. King – Ten Long Years
Clube de Patifes ft. Luiz Caldas – Hey Mama
Stevie Ray Vaughan – Pride and Joy
Gary Clark Jr – Catfish Blues
Jimi Hendrix – Little Wing
Kenny G – Songbird
Boney James – Full Effect
Dave Holland Quintet – Prime Directive
Kenny Wheeler – Seven Eight Nine (part 1)
Keith Jarrett Trio – You’ve Changed
Diana Krall – Where or When
Enya – May It Be
Loren Allred – Never Enough
Bob Marley & The Wailers – Is This Love
Edson Gomes – Malandrinha
Adão Negro – Louco Louco
Gregory Isaacs – Cool Down The Pace
Diamba – Miscigenação
Skrillex – Scary Monsters And Nice Sprites
Armin van Buuren – This Is What It Feels Like
The Timewriter – Tenda Count
Alok – Piece of Your Heart (remix)
Hardwell feat. Amba Shepherd – Apollo [Mix Cut]
Tom Jobim – Desafinado
João Gilberto – Sampa
Roberto Menescal & Andrea Amorim – O Barquinho
Caetano Veloso & Maria Gadú – O Quereres (ao vivo)
Gilberto Gil – Aos Pés da Cruz (ao vivo)
Djavan – Pecado (ao vivo)
Chico Buarque – Renata Maria (ao vivo)
João Bosco – Mano Que Zuera
Vanessa da Mata ft. Ben Harper – Boa Sorte/Good Look
Ed Motta – Minha Casa, Minha Cama, Minha Mesa
Ney Matogrosso – O Tempo Não Para
Rita Lee – Doce Vampiro
Lenine – Martelo Bigorna
Kid Abelha – Como Eu Quero
Negra Li – Venha
Luiza Possi – Over The Rainbow
Michael Jackson – Beat It
Madonna – Like a Virgin
George Michael – Careless Whisper
Daft Punk – Give Life Back to Music
Adele – Rolling in The Deep
Geraldo Azevedo – Chorando e Cantando
Dominguinhos – Preciso do Teu Sorriso
Flávio José – Tareco & Mariola
Alcymar Monteiro – Lindo Lago do Amor
Fernando e Sorocaba – Vendaval/Bala de Prata (ao vivo)
César Menotti & Fabiano – Só Mais Uma Verdade
Paula Fernandes – Jeito do Mato
Zezé Di Camargo & Luciano – O Defensor (ao vivo)
Diogo Nogueira ft. Hamilton de Holanda – Salamandra
Paulinho da Viola – Onde a Dor Não Tem Razão
Luiz Melodia – A Voz do Morro (ao vivo)
Jorge Aragão – Coisa da Pele (ao vivo)
Mart’nália – Cabide
Mumuzinho – Eu Mereço Ser Feliz (ao vivo)
Pixote – Coisas do Amor/Você Pode (ao vivo)
Harmonia do Samba – Molejinho
Sabotage – País da Fome: Homens Animais
Emicida – Rotina
Eminem – Lose Yourself
Filipe Ret – Neurótico de Guerra
The Weeknd ft. Daft Punk – Starboy
Chiclete com Banana – Meia Lua Inteira (Capoeira Larará)
Ara Ketu – Ara Ketu Bom Demais
Banda Eva – Beleza Rara
Filhos de Jorge – Vai Que Cola “Melanina”
Vivaldi – Violin Concerto in E Major, RV 269, No. 1, Spring: I. Allegro
Tchaikovsky – The Nutcracker, Op. 71, Act 2: No. 13 Waltz of the Flowers
Mozart – Serenade in G Major, K. 525 “Eine kleine Nachtmusik”: 1. Allegro
Chopin – “Grande valse brillante” in E-Flat Major, Op. 18

Link da Playlist:


Gráficos por hiendportable.com:

Gráficos por Crinacle:



Se você chegou até aqui, muitíssimo obrigado!

Considere seguir o Facebook e o Instagram do site para receber todas as novidades em primeira mão!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑